quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Nossos dias são uma caixinha de surpresas! Dia 1 - Tempo



Quando criei o blog tinha ideia de postar coisas mirabolantes, deveras futurísticas, pós-apocalípticas e mega tecnológicas, mas as datas dos posts foram cada vez se distanciando mais e mais (e também não postava nada de outro planeta), pensando de uns dias pra cá como deixar o blog mais atualizado, decidi falar sobre meus  dias. Fazer um resumo quem sabe, das coisas que aprendo, mesmo que corriqueiras. Fiz tópicos, e olha tem pano pra manga! 

Acredito que devíamos criar hábito de mata tempo bom: sempre anotarmos o que acabou de acontecer, ou tópicos do que aconteceu no dia. Tudo o que aprendeu.
Então, HANDS ON!

Iniciar falando de modo geral sobre as coisas que passam invisíveis sobre nosso olhar viciado no cotidiano - dia 1 - tempo:

- A gente vai ter tempo aqui pra muita coisa, muita mas muita mesmo! Mas que coisa é essa? E que tempo é esse?

Vamos ter que nos apaixonar por uma, duas, três atividades, ou mais, alguma coisa que faça seu coração vibrar mais forte, que seu sorriso fique fácil só de saber que você vai tocar aquilo pra frente! O cenário que hoje vivemos nos oportuniza diferentes formas de nos alegrarmos com nosso trabalho. O tal do reinventar vai funcionar muito bem aqui ou ali. Onde você decidir que é melhor. 
E já que citei a palavra "trabalho", a dica que faz toda a diferença pra mim: trabalhe com gente que te inspire. Gente que você admira, gente que se preocupa com você! É, seja amigo no trabalho. No almoço troque ideias sobre a vida, como anda a família, filhos, planos de viagens, sonhos, dores que estão passando, faculdade, artigos, livros que  estão lendo, filme que lançou, dicas culturais. Você verá o quão mais produtivo será o árduo "trabalho", pois deste modo deixamos o valioso dom chamado empatia dominar nosso ser, conseguimos entender melhor  nosso colega, e arquitetarmos como podemos ajudá-lo,  caso o contrário, esse trabalho vai te dar muito trabalho, tendo que pagar o terapeuta e os remédios receitados pelo psiquiatra ;)

Ah, e sobre o tempo. Só pra termos uma ideia. O total de países que temos hoje no mundo  se resolvessemos conhecer todos com estadia de 10 dias em cada, isso não dá 6 anos! SEIS ANOS! Quem éramos nós seis anos atrás?  Quem seremos nós nos próximos seis? Então, pensando em tudo o que aprendemos com o passar dos dias chegamos a conclusão que sim, é muito tempo. A gente olhando pra frente, só que as coisas só fazem sentido quando a gente olha pra trás. Então vamos aproveitar esse tempo. Fazer o que se tem pra fazer agora, porque o tempo que a gente gasta pensando no que a gente não fez é bem maior. E apesar de muito tempo, é saudável não disperdiçar. E se for pra desperdiçar que seja de modo feliz. E tomar cuidado com esse tempo, ele passa rápido!
 
A gente vai ter de apreder a ser produtivo pra não perder tempo. Essa produtividade partirá de um autoconhecimento, saber o que te energiza. E incrível que vai ter mil coisas que vamos aprender com isso:

- Passar tempo com família é a maior produtividade que você pode ter. Sua base é quem mais te motiva. Quando você estiver longe e a saudade te esmagar compreenderá a morfina que será ativada quando vê-los ou lembra-los. Portanto quando perto, valorize.

- Passar tempo com crianças entenderá que é mais produtivo do que você imaginava, que o quanto aquelas brincadeiras sem compromisso com o resultado llhe darão centenas de lições. Aquelas conversas que você não sabe como entrou, mas não quer parar vai ser o estopim de uma grande ideia. Outro dia estava eu postando uma foto no instagram e pensando em como seria a legenda e perguntei a minha priminha de 11 anos e ela me respondeu: - Lili, não pensa muito pra escrever! Escreve o que vir primeiro na cabeça! Você quer publicidade melhor que essa? É, o poder do pensamento infantil. 

- Para aproveitar melhor esse tempo, jamais perca a humildade, quando pois quando deixar de ser humilde deixarás de aprender também.

- Gastar tempo com suas músicas preferidas. Olhares preferidos, comidas, gestos, ares, tudo é preferido pra você é um pedaço seu.

E ainda sobre o tempo, teremos que aproveitar a jornada, o final do tempo é igual pra todos! 





 Jamais esqueça:
"Nem foi tempo perdido, somos tão jovens!"


terça-feira, 1 de abril de 2014

Um pouquinho do que foi o II Encontro Nacional de Mulheres na Tecnologia


  Então, enfim tinha chegado o grande dia do encontro que reuniria grandes mulheres em um evento só!
  Mulheres que acompanhava o trabalho pela internet e outras que já tinha tido a oportunidade de conhecer pessoalmente e tantas outras que não conhecia seu trabalho, mas que agora são minhas fontes de inspiração também!
  O evento então se inicia. É credenciamento e minha explosão de felicidade por ver tantos homens logo ali, já no credenciamento. Sabia que no encontro anterior já havia ido um percentual considerável de homens, mas agora tinha mais. Pode se dizer que isso já é um fruto do trabalho do MNT? Pessoas de diferentes gêneros compreendendo que o mundo precisa ser mais igualitário? Meus parabéns a estes agentes de mudanças. Aprendo muito com vocês, obrigada! A causa é nossa de homens e mulheres, e vocês que foram, apóiam, entendem, são inquietos com a questão da mulher no estado atual, compreendem a discussão de gêneros e equidade entre os gêneros, me inspiram também! Digo isso porque sempre é bom conhecer gente inquieta, pois tenho de ser assim também!
  Antes de continuar, um pouco sobre o porque me inspira e como conheci o /MNT:
  Inquietas com a realidade atual de como é o mercado de TI, masculinizado e predominantemente machista, mulheres lá em Goiânia começaram um grande movimento para mudar esse cenário. E eis que ganharam adeptas, entusiastas e gente que já fazia acontecer e precisava conhecer mais gente assim para até mesmo continuar com fé no seu trabalho. Acredito que deve ter muitas meninas que assim como eu não tinham essa visão de machismo e masculinização da TI, só achavam muito estranho não ser compatível o número de homens e mulheres no mercado que estavam se inserindo, aos poucos e sendo perceptível você percebe que é exatamente assim. E então a gente começa a se perguntar: porque é assim? Será que TI é só para homens? Será que exatas tem algum gênero? Vamos sempre ser olhadas como ET quando entramos em algum grupo e dizemos nossa profissão? Ou o que sabemos? Estamos estudando? Ou será que temos que nos masculinizar para poder entrar em áreas culturalmente masculinas?
  Em uma dessas buscas por respostas pela internet acho o mulheresnatecnologia.org/ e me senti tão a vontade em ser membra, pois as discussões era sobre mulher como um todo, e não apenas na tecnologia! :) Iniciou-se um grupo de email, uma lista de discussão e lá é um dos meios onde me atualizo, é compartilhado grandes projetos que estão sendo realizados sobre meninas e o mundo tecnológico. Trabalhos, artigos, dúvidas, ajudas... tá tudo lá. Recomendo que participe! E minhas questões aos poucos respondidas a medida que ia me atualizando do assunto no grupo. No ano passado tive a oportunidade de conhecer alguns membros no encontro comunitário que tivemos do grupo no Fórum Internacional de Software Livre, ocorrido em Porto Alegre no dia 6 de julho, onde meu amor pelo grupo só aumentou! E acompanhando em redes sociais, a lista de email também, fico sabendo do II Encontro Nacional de Mulheres na Tecnologia, aí penso -”Não posso perder!!!!” E não perdi...
  Voltando ao encontro, paramos no credenciamento, não é? E na minha profunda adminiração pelos  homens e mulheres que entendem que femismo não é o contrário de machismo. Que fique claro: machismo= homem >mulher e feminismo = homem=mulher. Enfim...
  Já na descida no aeroporto vou me integrando com algumas participantes e palestrantes, chegamos no local, nos credenciamos, encontro minha host em Goiânia, Márcia Almeida, uma das mulheres que fez muito para que o evento saísse do papel, e a abertura oficial inicia com Elen Lara, musicista, cantora e pianista, uma abertura emocionante com direito a música popular brasileira.
O auditório vai cada vez lotando mais. E começa a palestra da Deb Xavier, do Jogo de Damas, conta de sua trajetória, dá super dicas de como chegar lá, fera em empreendedorismo. Uma das dicas dela que gravei bem é, seja voluntária em eventos do seu interesse profissional, pois é um excelente lugar para networking e é com seu networking que você vai chegar no seu cliente, sócio, alguém que busca o mesmo que você, ou espera seu serviço, pessoas que vão lhe dar mais dicas sobre sua área de atuação! Chegamos ao final do dia com um baita coquetel.

O starting no sábado pela manhã no auditório foi por conta da Danielle Oliveira, uma das grandes mulheres também que trabalharam muito para que o evento tornasse realidade. Contou sobre a criação do /MNT, suas visões e perspectivas.




  E então inicia as palestras nas salas de carreiram negócios, têndencias e Hands On. Eu, super dividida na qual acompanhar, pois todas com assuntos importantíssimos, vou para sala carreira. Palestra – The Web Woman Want com Clauda Melo, diretora de Tecnologia da ThoughtWorks. Apresenta um pouco de sua trajetória e dá uma verdadeira aula de web.

Confira na íntegra os slides da palestra pelo  The Web Women Want por Claudia Melo









 Enquanto isso rola a programação aqui:



  






   Na sala equidade assiti a belíssima palestra da Dayse Álvares – Mulheres e Ativismo Social outra aula de Ciberativismo.








  Ainda na sala Equiadade outra palestra que assisti foi - Tecnologia em Rosa e Azul com a Luciana Bolan (foto) frizou a discussão de gêneros, da cultura do rosa pra menina e azul pro menino, o que isso interfere nas escolhas quando chegamos na fase  adulta. Apresentou o belissimo projeto que estão desenvolvendo em Santa Catatina, o Menina Digitais.

  Pausa para o almoço que é em um restaurante em grande estilo. Voltamos.

  No auditório, inicia o debate: Mercado de trabalho e Carreira Acadêmica: Qual caminho a seguir? Debate coordenado pela Natasha Hun. Neste debate deu pra tirar várias dúvidas sobre esses caminhos.




E pela tarde seguiu as belas palestras, onde não consegui acompanhar todas, mas sei que seguiram o mesmo padrão alto nível que as apresentadas pela manhã.

Aqui segue alguns links das apresentações, conforme for sabendo das demais, vou compartilhando!!





Palestrante Desiree apresentou na sala Hands On – Domótica: Controle de dispositivos via comando de voz com arduíno.








  O evento estava demais. Mas algo me intrigou: cadê as meninas de redes de computadores?
  É baixo nível, é! Mas também é lugar de mulher. Em todo encontro, conheci apenas uma que estava indo para área. Como atrair mais meninas para infra? Fiquei com a pulga atrás da orelha sobre esta e outras questões.
Obrigada MNT por todo o encontro! Por todo o conteúdo rico apresentado. 


Obrigada! Tô louca pelo próximo!!!!!!!!!!!!